Todos nós temos lembranças de quando aprendemos a dirigir. É preciso ter alguém com experiência ao lado para ensinar e dizer o que fazer. Mas, para Ruben Navarrete, de 14 anos, sua primeira vez ao volante foi sozinho, de noite, em uma estrada estreita e íngreme e com um enorme incêndio florestal acontecendo.

Parece história de filme, mas não é. Ruben mora com seu tio Joshua Smith e a esposa dele, Jamie, na Cold Springs Rancheria Mono Indians, uma reserva indígena ameaçada pelo incêndio que se espalha por uma extensa região do estado na Califórnia, nos Estados Unidos.

Até o final da última quinta-feira (10), o incêndio já havia atingido mais de 71 mil hectares na reserva indígena que Ruben mora. Ele e sua família receberam uma alerta das autoridades locais para se preparar e evacuar a área em dois dias.

Enquanto se preparavam para deixar o local no período estipulado, a família recebeu uma ligação na madrugada de segunda para terça-feira dizendo que precisavam deixar a casa imediatamente. Além de Ruben e os tios, há também o irmão do garoto, que é cadeirante, e mais três primos, todos com a idade abaixo dos 14 anos.

Como havia três carros na garagem, fizeram um comboio. Jamie na frente em sua camionete, Ruben no meio em um Chevrolet Traverse e seu tio em outra picape atrás, que para piorar a situação, não tinha faróis.

Em entrevista à agência de notícias francesa AFP, o garoto diz que ficou muito assustado quando se viu naquela situação sem nunca ter dirigido, mas diz que seu tio deu um conselho.

“É como um videogame, Ruben. Meu tio disse isso e me deu um conforto. No começo eu estava muito nervoso, com muito medo. O fogo estava atrás da gente e eu não queria olhar para trás, porque tinha que ficar focado para não bater o carro”, revelou Ruben.

O garoto disse que quanto mais olhou para a altura das colinas, mais medo ficou. Somente no meio do caminho que a tensão passou um pouco. Ao todo, ele dirigiu 50 km até a cidade de Clovis.

“Ele foi muito bem, estava um pouco lento, mas melhor assim. O importante era chegar são e salvo. Foi um curso intensivo na prática”, afirmou Jamie.

A família recebeu uma estadia de 10 dias em um hotel pago pela Cruz Vermelha. Por causa da pandemia, os tradicionais abrigos em locais públicos, como quadras e ginásios, não foram montados. Ao todo, mais de 1,2 mil quartos do hotel estão abrigando famílias.

Depois que toda a tensão passou, o garoto disse que a experiência foi divertida. “Estou pronto para dirigir novamente.”

No estado da Califórnia, a idade mínima para dirigir é de 16 anos, porém, no caso de Ruben, não houve nenhum crime de trânsito pelas circunstâncias da situação.

Fonte: Auto Esporte